O Asus Transformer PAD TF300 é o tablet mais recente da marca a chegar ao mercado nacional.

  

Para além das capacidades transformistas a que os tablets da Asus já nos habituaram (com a dock a transformar o tablet num netbook), o TF300 marca o regresso aos acabamentos em plástico, uma forma de resolver os problemas com as ligações WiFi e GPS que atormentaram os utilizadores do Transformer Prime.

Em termos de dimensões, o TF300 é ligeiramente mais grosso que o Prime (9,9 mm contra 8,3 mm) e também mais pesado (635 grs contra 586 grs). Com a dockstation o peso do conjunto aumenta para os 1.181 grs.

Como características principais, o TF300 apresenta-se com um processador NVIDIA Tegra 3 Quad-Core (@1,2 Ghz), 1 Gb RAM, 32 Gb ROM, ecrãn LED IPS 10,1” (com resolução de 1280×800), câmera traseira de 8MP com auto-focus e câmera frontal de 1,2 MP, Bluetooth 3.0, WiFi 802.11 b/g/n e Android 4.0.
O TF300 tem uma autonomia anunciado de 10 horas, aumentando para 15 horas quando acoplado à dockstation.

  

Para analisar a performance do TF300, recorri ao Antutu Benchmark e os resultados foram estes:

O TF300 só é ultrapassado pelo Prime.

A reprodução de vídeo é um dos pontos fortes deste tablet, não tendo nenhum problema em reproduzir qualquer dos formatos tradicionais (divx, mkv, etc), quer em resolução normal quer em HD.

  

Outro ponto forte do TF300 são os jogos, que graças ao seu processador NVIDIA, correm com uma fluidez notável. Um dos jogos que tira partido das capacidades do processador do TF300 é o Zen Pinball THD. Por outro lado, o Machinarium é outro dos jogos que aproveita a resolução deste tablet (e que brevemente terá direito a artigo no Apps do Android).

A nível de software, o TF300 vem com algumas apps instaladas de origem (visíveis nas filas inferiores da próxima imagem), como por exemplo o App Locker, App Backup, Amazon Kindle, Movie Studio, MyCloud, WebStorage, SuperNote e o Polaris Office.

Para testar o funcionamento em rede, utilizei o WiFi Analyzer para comparar o TF300 com o meu SGS e, tal como no “teste do algodão”, os resultados não enganam, o TF300 consegue captar sempre mais sinal de rede (as medições foram feitas com ambos os equipamentos lado a lado).

Samsung Galaxy S

Asus Transformer PAD TF300

Também com o GPS, os resultados não enganam. No mesmo local (junto ao Palácio de Queluz) utilizei o GPS Test e enquanto o TF300 consegue apanhar 9 satélites e fixar o sinal em poucos segundos, o SGS apenas apanhava o sinal de 4 satélites e um durante 2 minutos não foi possível fixar o sinal.

Outro dos testes que fiz com o TF300 foi a escrita de artigos para o blogger.
Como decerto saberão, tanto o Aberto até de Madrugada como o Apps do Android funcionam sobre a plataforma blogger da Google, pelo que sería muito prático utilizar o tablet para escrever artigos (no meu caso para o Apps do Android) ou na app do blogger para Android ou na versão web, através do browser.
No entanto, verifica-se que a app do blogger é completamente inútil, estando ultrapassada e mais valia não existir. Com o browser do android, conseguimos escrever os textos mas não é possível adicionar imagens ou videos e com o Google Chrome, já é possível adicionar imagens e vídeos, mas não se conseguem escrever caracteres com acentuação.
Resumindo, não há uma opção decente para utilizar um equipamento android para produzir conteúdos para a plataforma do blogger (ao contrário do WordPress, que tem uma app para android simplesmente fantástica), o que, tal como se verifica com os irmãos mais velhos do TF300, não é culpa da Asus, mas sim das incompreensíveis incompatibilidades entre soluções oferecidas pela Google (android/blogger).
O mesmo se passa com o Google Drive, criar/editar documentos, quer no browser stock como no Google Chrome, torna-se uma autêntica aventura.

Não sendo uma das funções principais dos tablets, a câmera fotográfica de 8MP satisfaz os utilizadores menos exigentes e serve perfeitamente para “desenrascar” quando não temos mais nenhum equipamento à mão.

      

O ecrãn do TF300 não será dos mais agradáveis de utilizar ao sol, pois mesmo com o ecrãn em modo automático, por vezes torna-se difícil ver os ícones. O outro ponto fraco do ecrãn é a facilidade com que fica sujo com marcas dos dedos.

O TF300 é fabricado em 3 cores (Royal Blue, Iceberg White e Torch Red), mas em Portugal, o Torch Red não está disponível.

Quanto a valores, o TF300 está disponível nas seguintes variantes/preços:
– TF300 32Gb (sem Dock): € 399,90
– TF300 32Gb 3G (sem Dock): € 499,90
– TF300 32Gb com Dock: € 499,90

De salientar que o TF300 oferece 8GB de espaço gratuito no Asus Webstorage, para sempre.

Prós:

  • melhorias no WiFi e GPS (comparativamente ao Prime)
  • preço
  • desempenho
  • autonomia

Contras:

  • visibilidade ao sol
  • ecrãn suja-se facilmente

 

Este artigo foi escrito para o Aberto até de Madrugada