Apesar de não ser adepto dos produtos da marca da maçã, confesso que sempre achei o seu design muito interessante.

A comercialização do iPad na Europa (Portugal está excluído desta primeira fase), iniciou-se na passada 6ª feira (28/Maio).
Já tinha lido diversos artigos acerca do iPad e não me pareceu mais que um iPhone em tamanho gigante, sem a possibilidade de efectuar chamadas telefónicas. Não fiquei nada curioso para conhecer este dispositivo.

No entanto, ontem, um colega de trabalho veio ter comigo com um iPad na mão e pediu-me para o ajudar a configurar e “preparar” um iPad que comprou para o filho. Pelo que me disse, conhece alguém na Apple que lhe conseguiu arranjar o iPad assim que foi lançado na Europa.

Como não gosto de perder uma oportunidade que seja para experimentar novos equipamentos, ou seja, não gosto de “morrer estúpido”, aproveitei para “dar uma voltinha” e ficar a conhecer pessoalmente o iPad.

E assim começou a minha descoberta do iPad, modelo com 64Gb de memória e ligação wireless.

Ao abrir a caixa, fiquei desiludido, pois os únicos acessórios que vêm incluídos são o carregador e o cabo para ligar ao computador. Não entendo como um equipamento em que um dos principais argumentos é a reprodução de áudio e vídeo não vem acompanhado de auriculares.
O peso do iPad também me desiludiu, 680 gramas tornam este equipamento demasiado pesado.

Ao ligar o iPad, a única coisa que aparecia no ecrãn era a indicação para o ligar ao computador, através do iTunes.
Como não tinha o iTunes instalado, tiver que fazer o download de 93 Mb do site da Apple.
Depois de instalar o iTunes, liguei o iPad ao computador e após alguns segundos iniciou-se o “wizard” de configuração da sincronização. Como o iPad não era meu, não configurei a sincronização.

Mesmo não configurando a sincronização, fiz a transferência de um video e algumas músicas (a velocidade de transferência é boa).
Experimentei transferir um video em formato mp4 (avi) mas o iTunes nem sequer deixou transferir o ficheiro, apenas permitiu a transferência de um video em formato QuickTime (mov). Isto deve ser normal no universo Apple, mas como eu sou “maçarico”, não sabia e concluí que apenas poderia transferir videos em formato QuickTime (corrijam-me se estiver enganado).

Assim que o iPad detecta alguma rede wireless, pergunta se queremos fazer a ligação e ficamos imediatamente conectados ao maravilhoso mundo da net e começar a usufruir de algumas das capacidades deste equipamento.
Um exemplo é o Maps, que nos permite navegar pelo mapa-mundo através do Google Maps.

A navegação na net com o Safari é rápida e eficaz, tal como o acesso directo ao YouTube, através do ícone próprio que aparece no ecrãn principal.

Como também me pediram para configurar uma conta do Gmail no iPad, fui à descoberta.

Após tocar no ícone “Mail”, aparece a opção de configurar uma conta de mail no Hotmail, Gmail e outros fornecedores, que agora não me recordo quais são. Toquei na opção Gmail e apenas tive que inserir o endereço de mail e a password. Todas as restantes configurações foram feitas automaticamente e de imediato comecei a receber mails.
Para confirmar que a configuração da conta do Gmail estava correcta, experimentei escrever uma nova mensagem que foi enviada sem qualquer problema.

Fiquei bastante agradado com a facilidade de utilização do teclado no display, isto apesar de não ter conseguido descobrir como activava o “Caps Lock” (se é que existe essa possibilidade), e do iPad não ter os caracteres portugueses.

Também achei muito boa a qualidade da imagem, tanto na reprodução de vídeo como na apresentação de fotos e o som também é de boa qualidade.
A funcionalidade de rodar automaticamente o ecrãn (através do acelerómetro) é muito interessante e útil, mas por vezes, talvez apenas enquanto não nos habituamos a ela, torna-se um pouco enervante, pois ao mínimo movimento lá está a imagem a mudar de orientação.

Não consegui testar mais aplicações porque o iPad não era meu e não tinha pedido autorização ao proprietário para fazer mais que algumas configurações e testes de funcionamento em rede e também porque não tive mais tempo.

Em jeito de resumo, feito por alguém que sempre foi céptico relativamente aos produtos da Apple, aqui ficam os prós e contras que encontrei no iPad.

Prós:
– excelente qualidade de imagem
– excelente qualidade de som
– ecrãn táctil muito fácil de utilizar

Contras:
– peso excessivo
– acessórios incluídos
– não é multi-tarefa
– preço demasiado alto

A sua aquisição fica à consideração dos possíveis interessados, mas acho que o valor praticado na Europa é demasiado alto (esta versão, com 64 Gb e Wireless, custa € 679 na loja online da Apple espanhola).

Para finalizar, deixo-vos um video publicitário do iPad.

Gloriosas saudações Barrosianas…..