Assine e divulgue a “Petição contra o aumento do preço da água no Concelho de Sintra“.

Apesar do preço da água no concelho de Sintra ser o mais elevado de toda a área metropolitana de Lisboa, no passado dia 14 de Dezembro foi aprovado, em reunião privada da Câmara Municipal de Sintra, o aumento do preço da água neste concelho, que entrará em vigor a partir de Janeiro de 2010.

Como consideramos que os munícipes de Sintra não devem ser penalizados em relação a outras zonas do país, foi criada uma “petição online contra o aumento do preço da água no concelho de Sintra”, que está disponível no endereço http://www.peticao.com.pt/aumento-agua-sintra e cujo texto reproduzimos abaixo.

Solicitamos a todos os munícipes que assinem e divulguem esta petição.

Petição contra o aumento do preço da água no Concelho de Sintra

Tendo em conta o excessivo preço da água pago pelos munícipes do Concelho de Sintra, a qual no 1º escalão supera 3 vezes o custo do escalão equivalente em Lisboa (e representando este a maior fatia do consumo), segundo os tarifários publicados.

Sendo os valores acima mencionados ainda afectados por taxas espantosamente elevadas, nomeadamente a taxa de resíduos sólidos proporcional ao metro cúbico de consumo para além de uma fixa, o que não parece fazer qualquer sentido, pois não há ligação aparente entre a produção de resíduos e o consumo da água.

Mantendo-se as tarifas de água em Sintra acima dos Concelhos limítrofes em todas as tarifas, exceptuando-se manifestos casos de discriminação positiva por protecção social sempre a evitar em nome da transparência de processos.

Finalmente considerando que o fornecimento da água (bem essencial) não pode se tornado um negócio para a autarquia ou para as empresas dela dependentes, sendo, acima de tudo, um serviço público na mais pura acepção da palavra.

Vêm assim os abaixo assinados requerer em nome da reposição de igualdade de tratamento que o preço do precioso líquido seja revisto no sentido de se conseguirem tarifas aceitáveis por todos os sectores da sociedade incluindo as actividades económicas, não sendo os munícipes de Sintra penalizados em relação a outras zonas do País.

Os Peticionários