Como podem ler mais abaixo, a Coligação Mais Sintra começa o novo mandato em Sintra em grande estilo.
Deixo-vos a transcrição da Carta Aberta enviada pela Bancada do Partido Socialista da Assembleia Municipal de Sintra.

Senhor Presidente da Câmara de Sintra,

O Grupo de Lista da coligação “Mais Sintra” estreou-se da pior maneira na Assembleia Municipal, acabada de empossar, ao submeter a votação uma lista para a composição da mesa daquele órgão constituída somente por elementos daquela coligação.

Os deputados municipais do Partido Socialista não podem deixar de registar e de deplorar o facto desta atitude de exclusão e arrogância estar em clara contradição com a vontade expressa pelo Presidente da Câmara, no discurso da tomada de posse, de partilhar responsabilidades e competências com os vereadores da oposição. Será que existem, na autarquia sintrense, dois pesos e duas medidas? Será que o Grupo de Lista da coligação “Mais Sintra”, contrariando o que foi a prática desta maioria no mandato anterior, não está disposto a dar sinais de abertura e diálogo que só poderiam contribuir para a saudável vivência democrática deste parlamento local?

Momentos antes de a lista ser sujeita a votação, o Presidente da Assembleia Municipal, Eng. Ângelo Correia, constituiu uma mesa informal, para proceder à contagem de votos, convidando a integrá-la uma deputada da sua coligação e outra deputada do PS. Porém, o grupo de lista da coligação de direita nem esse espírito esteve disposto a partilhar, o que causou visível incómodo àquela destacada figura do PSD. O Grupo de Lista do PS teve oportunidade de lavrar, após o apuramento do resultado da votação, um veemente protesto por este inaceitável acto de exclusão.

O PS sente que esta abrupta atitude, que não levou na devida conta a importância dos eleitos socialistas nos órgãos autárquicos de Sintra, dá o timbre do que irá ser a prática da coligação “Mais Sintra” na Assembleia Municipal, o que constitui um mau prenúncio para o funcionamento daquele órgão nos próximos quatro anos.

Ao Presidente Fernando Seara, que nunca deixa de proclamar a sua capacidade de diálogo e de partilha de responsabilidades no executivo, o PS pergunta se se revê nesta atitude, se de algum modo esteve na origem dela e se é desta forma que pretende juntas forças e contributos para que o concelho progrida e se transforme, sendo conhecida a complexidade dos desafios que tem por diante.

O PS não pode deixar de considerar que esta atitude arrogante da coligação “Mais Sintra” vai ter como resultado “Menos Sintra”, ou seja, uma maioria absoluta acantonada no conforto da sua posição que tudo irá fazer para, na prática, coarctar direitos à oposição e silenciar as legítimas vozes da discordância e da crítica.

Sintra, 29 de Outubro de 2009

A Bancada do Partido Socialista da Assembleia Municipal de Sintra